PC Old School

Paulo Cesar Fernandes “PC” – Um mestre da meliponicultura

Hoje vamos apresentar a vocês um grande mestre da meliponicultura chamado Paulo Cesar Fernandes (ou simplesmente de PC), e lendo vocês vão entender o porque nós achamos que todos os interessados em abelhas sem ferrão devem conhecer um pouco mais sobre sua história.

Muitas pessoas são excelentes naquilo que fazem e muitas vezes não tem o reconhecimento que lhes é merecido. O que no meio dos aficionados pelas abelhas sem ferrão, sejam meliponicultores ou pesquisadores, acaba se tornando uma pequena metáfora para o grande trabalho que as abelhas executam no meio ambiente sem que a maioria das pessoas nem saiba disso.

Estamos apresentando para vocês um grande mestre da Meliponicultura, o Paulo Cesar Fernandes, técnico do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP) há cerca de 38 anos , ou seja desde o começo do laboratório de abelhas, hoje mais conhecido como “Bee lab”, fundado pelo Dr. Paulo Nogueira Neto, um dos percursores da meliponicultura no Brasil e um dos maiores pesquisadores de abelhas sem ferrão vivos. Porém, para muitos, o PC é um cara anônimo, e não deveria ser. Depois desse tempo todo dedicado as abelhas, PC está se aposentando da USP, mas as abelhas não irão sair de sua vida.

PC é uma pessoa extremamente simpática e disposta a ajudar, sem dúvidas uma das pessoas com maior experiência no manejo de abelhas sem ferrão do Brasil. O conhecimento de Paulo Cesar vai desde os manejos mais básicos até um conhecimento científico bem aprofundado, fruto de sua experiência de trabalho, seja no laboratório ou em campo.

Além das atividades do laboratório, PC auxilia em diversas atividades do departamento de ecologia, onde prepara diversas aulas, como em ecologia animal e ecologia vegetal, além é claro, das atividades de campo.

Nessa linda foto de abelha mandaçaia (Melipona quadrifasciata) coletando pólen, fica evidente a afinidade do PC com dois assuntos: abelhas e fotografia. Inclusive, o BeeLab é cheio de fotos de abelhas tiradas pelo PC.

Quando alguém chega para conhecer o Beelab, geralmente o primeiro contato é com as explicações do PC, que não só aponta as abelhas do meliponário explicando suas características, nomes  científicos e populares, como também conhece ninhos por toda a Cidade Universitária da USP de São Paulo.

Uma vez PC me disse que várias pessoas achavam que ele era maluco (e que algumas tem certeza), afinal em um dia o encontravam andando e olhando pro chão,  no dia seguinte o encontravam no mesmo local olhando para as laterais, e no outro olhando para cima. De fato parece coisa de maluco pra quem nunca saiu procurando ninhos de abelhas nativas.

Seja para manutenção de um experimento, localização de um ninho ou para um manejo, PC sempre tem alguma dica, alguma técnica especial ou algum método que ajuda muito a resolver o seu problema, de certa forma Paulo Cesar “entende como as abelhas pensam”.

Outra curiosidade é que mesmo trabalhando com abelhas sem ferrão, o trabalho do laboratório já quase o matou. Pois ele é alérgico e só descobriu isso da pior forma possível, inalando uma grande quantidade de pólen de capim gordura após uma coleta. Sofreu uma intoxicação que o levou a um coma de 3 dias.

Nesse tempo todo trabalhando no IB, no Bee Lab, PC viu muitos alunos se graduando, indo para a Pós-graduação,  e retornando como professores. Alguns deles, escreveram pequenos relatos sobre suas experiências com o PC, que agora está deixando a USP para se aposentar e conquistar novos objetivos. Todos concordamos que o PC é uma pessoa polivalente, cheio de habilidades que vão desde seus conhecimentos sobre as abelhas, passando por fotografia até o cultivo de plantas de todos os tipos ( principalmente suculentas) e uma destreza ímpar na cozinha, mais um motivo pelo qual é tão requisitado nas atividades de campo.

  • Celso Barbiéri Jr: “No meu caso, quando conheci o PC eu jurava que ele era biólogo, fiquei bastante surpreso quando ele me falou que era formado em jornalismo, ele sempre foi muito disposto a ajudar, me apresentou ninhos de diversas espécies e me ensinou vários truques para coletar abelhas Euglossini, que foram tema do meu projeto de formatura, duas coisas que destaco são seu bom humor ( o cara fez várias piadas comigo sobre cabelo longo, pra depois me mostra ruma porrada de fotos com ele próprio de cabelo comprido) e o bom gosto musical ( clássicos do rock como AC/DC e Led Zeppelin)”.

  • Sheina Koffler :”Desde que entrei no BeeLab (2006), o PC foi peça fundamental para o desenvolvimento do meu trabalho. Muita experiência com as abelhas, idéias engenhosas e mirabolantes para resolver problemas… fez várias caixas especiais para as minhas abelhas! O PC também me ajudou a coletar irapuás na USP, por 2 anos, mesmo a 12m de altura… E como ele diz: “você tem que pensar como uma abelha!” – não vou esquecer. Vamos sentir sua falta, que seja muito feliz na nova fase! “

  • Fabiana Pioker: “O PC me ajudou muito em campo. Uma das viagens, ele foi me ajudar a colocar armadilha na entrada do ninho de arapuá, de roupa de apicultor. A ideia era abraçar o ninho pra amarrar a armadilha, imagina que elas não ficaram nada felizes e foi uma loucura de abelhas, nem a roupa deu conta. Depois, tinha que voltar e tirar a garrafa de coleta, e uma terceira vez, pra tirar a armadilha. Todas as vezes ele foi de bom humor, apresar do calor infernal e das mordidas das abelhas. No fim do campo, ainda rolou um jantar da hora que ele preparou. Noutra dessas viagens, choveu loucamente, e acabamos atolados na estradinha de Itirapina com a Toyota do IB, tentamos desatolar, sem chance. Ficamos cheios de lama e ainda tivemos que esperar o trator pra puxar. Mesmo assim, o PC nunca perdeu o humor. Acho que essa é a lembrança principal que ele deixou, a alegria apesar do caos, e a disposição fora do comum pra trabalho de campo. E pra ensinar, passar adiante o que sabe. Foi ele que, com uma baita paciência, andou comigo o IB todo me ensinando a reconhecer as entradas dos ninhos. Sempre alegra, sempre disposti. O PC vai fazer muita falta, com certeza deixou uma marca em todos que precisaram dele. Que ele seja muito feliz na nova empreitada!”

Se você tem mais alguma história sobre o PC e suas aventuras, entre em contato conosco! Agradecemos ao PC por tudo, todos os ensinamentos, a paciência e o bom humor.  Esperamos que com esse humilde texto mais pessoas conheçam seu trabalho.

E para quem quiser conhecer essa figura, corra até o Beelab até o dia 13/o3!

 

Texto de Celso Barbiéri Jr, com uma ajuda muito especial de Sheina Koffler.

Celso Barbiéri

Mestrando em Sustentabilidade e Bacharel em Gestão Ambiental pela USP. Diretor técnico-científico da SOS Abelhas sem Ferrão. Atualmente pesquisando abelhas sem ferrão, meliponicultura e ecologia urbana. Interessado em divulgação científica e em mostrar para as pessoas que aprender pode ser divertido. Praticante de Karatê, entusiasta de literatura fantástica e ficção científica. Jogador competitivo de Pokémon e fã de animes e mangás nas horas vagas.