Abelha Mamangava.

A importância da polinização realizada pelas abelhas nativas, que promovem a biodiversidade brasileira.

A polinização apresenta aspectos ecológicos e evolutivos fascinantes, constitui uma das etapas fundamentais na reprodução das angiospermas, grupo de plantas com maior número de espécies, caracterizada pela presença de flores e frutos com sementes. Como o maracujazeiro, pitangueira, goiabeira, jabuticabeira (nativas) entre outras.

Para a diversidade das angiospermas encontramos diferentes formas de polinização, pode ser realizada em alguns casos pelo vento ou a água e frequentemente pelos animais polinizadores como pássaros, morcegos e a maior parte pelos insetos (abelhas, besouros, borboletas). Entretanto são as abelhas os agentes mais adaptados e eficientes, que em alguns casos torna-se um polinizador único para determinado tipo de planta, portanto, são importantes nesse processo.  Destacamos as abelhas nativas que habitam o território brasileiro, compõem a maior variedade, com estimativa de 3000 espécies, alguns exemplos mais conhecidos são, a Jataí, Mamangava, Uruçu, Mandaçaia e Irapuã, apresentam morfologia diversa, comportamentos únicos e são extraordinárias para a tarefa de polinização.

Abelha Mamangava.

Abelha Jataí

As abelhas nativas em busca de alimento visitam uma grande quantidade de flores, são atraídas pela cor e odor, coletam o néctar (nutritivo, transformando-o em mel) e o pólen (fonte proteica, quando comestível) necessários para suprir sua colmeia. Como também, o pólen se adere ao corpo coberto de pelos das abelhas que involuntariamente realizam a polinização das flores, por meio de vibrações, quando levantam voo ou até mesmo pelo ato de alimentação. Desse modo, os grãos de pólen (gameta masculino) coletados da antera (estrutura reprodutiva masculina) caem e/ou são transportados para o estigma conectado ao estilete (estrutura reprodutiva feminina) formando um tubo polínico, que se move para o ovário e o óvulo (gameta feminino), consecutivamente fecundando-o. Pode ocorrer na mesma flor ou em outras flores de plantas da mesma espécie, garantindo maior variabilidade genética.

Posteriormente, o óvulo fecundado forma a semente e o desenvolvimento do fruto. Os frutos são nutritivos para animais frugívoros, quando se alimentam não causam prejuízo as sementes, possibilitando a dispersão pela defecação ou regurgitação, logo germinaram em outros locais, promovendo a propagação das espécies e completando o ciclo reprodutivo de uma angiosperma.

A importância e os benefícios mútuos consecutivos da polinização realizada pelas abelhas nativas são notáveis. Visto que, garantem a reprodução e o ciclo de vida das angiospermas, além disso, analisando todo aspecto ecológico, as plantas com flores ocupam grande parte das florestas, contribuem com uma parcela de produção de oxigênio, equilíbrio do clima, são habitats para muitos seres vivos e seus frutos são alimentos para muitos animais, como nossa alimentação, cerca de 70{6536b73cc0345695cb083c97419eb79e2806fd707e33f0c09e7fdf9734444a05} dos alimentos que consumimos depende da polinização, está diretamente ligada à eficiência e rentabilidade agrícola. Portanto, a manutenção da biodiversidade e a sobrevivência humana são garantidas, graças ao trabalho de nossas abelhas.  De fato, merecem nossa atenção, é importante a transmissão desse conhecimento para sua preservação.

  • Gustavo Penteado

    Gostaria de saber o nome dessa flor na foto da matéria. Ela forma umas bolinhas amarelas como semente

    • Fala Gustavo, obrigado pelo contato. A de baixo que tem uma jataí, nome popular é coroa de cristo, a primeira, eu fiz na chapada diamantina, vou ver se tenho outra foto que mostra as sementes, mas vou ficar devendo o nome, se quiser pode dar um print na foto e postar em algum grupo de botânica que acho que consegue ajuda pra correta identificação. Abs, Andre Matos